top of page
Search

Criando uma sala com o FET compressor


O Softube FET compressor é um dos melhores e mais pesados compressores. Ele é melhor aplicado em canais “stereo mix”, podendo ser usado em um canal como auxiliar na gravação de uma camada (STEM).

Dependendo de quem controla, o plug-in pode trazer um resultado excelente, ou destruir a música - O produtor que usar o FET tem de estar ciente do que quer alcançar. Neste estudo, usei o FET para mixar o canal estéreo completo de uma bateria (bumbo, caixa, contra-tempo, tons e pratos). A criação de uma sala imaginária seria minha intenção para aumentar a intensidade da batida. Após usar o “input” para regular a quantidade de entrada de sinal de áudio, o processamento pode iniciar-se com ambos os ponteiros de “attack” e “release” apontados para o “FAST” (não há valores em números no FET. Ao extremo oposto do “Fast”, há o “Slow”. Isto torna o plug-in mais intuitivo, logo foi uma ótima idéia dos fabricantes. Engenheiros de áudio tendem a basearem-se visualmente para obter o melhor som. Isto é errado mas faz parte da natureza humana, somos seres visuais além de bons ouvintes. Deve-se desconsiderar a beleza dos “displays” e prestar atenção no que escuta (há muitas pessoas que compram plug-ins seduzidos por seu gráfico, então… Cuidado! Baixe a demo antes). Os dois principais parâmetros (Attack e release) são dependentes entre si e com ambos apontados no “FAST”, a alteração que o compressor exerce no som original será percebida com maior facilidade. O ouvinte terá a impressão do surgimento de uma grande sala, eis o espaço virtual que pode ser criado pelo FET. Parâmetros como o “Input”, o “Attack” e o “Release” ajudam na manipulação físico-espacial. Detalhadamente, o “Attack” definirá o tamanho da sala; No caso de uma bateria, ele também aumentará o volume. o “Release” funciona como uma sombra do “Attack” e seu ajuste é circunstancial. Depende de como soa no momento da reprodução:


Ratio: A taxa de compressão (Ratio) no FET vai de 1:1 até 12:1, e o valor máximo é “ALL”. Mais uma vez números são descartados neste parâmetro. O “ratio” determina quantas vezes o sinal de entrada do áudio será processado pelo compressor; A taxa de compressão 12:1 já é bastante elevada. Este parâmetro também contribui para as reflexões da sala (semelhante a um reverb, porém melhor). Melhor que um efeito, o FET traz mais realismo para o som, assim podendo dispensar ecos artificiais etc.

Parâmetros extras oferecidos pelo plug-in: “Parallel Inject”, “Low”, “High cut”, “Look ahead” e “External Side Chain”

O “Parallel Inject” , uma válvula já próxima do “Output”, é capaz de secar as reflexões causadas pela alta compressão. Assim, a sala imaginária pode ser menos reflexiva, ou seja, mais absorvente. Optei por usar um pouco do “Parallel Inject”, Juntamente com o “Low” e o “High cut”. Mantive o “Look ahead” desligado. Por último, o parâmetro “Output” (Saída) deve ser correlacionado com o “Input” para que a quantidade de sinal que entra e sai do FET seja equilibrada. Deve-se sempre evitar que os sinais acendam a luz vermelha de sobrecarga (overload) de volume, tanto nos monitores do plug-in quanto nos monitores da DAW* ( Pro Tools, Logic, Garage Band, etc.)

Atenção: O FET tende a aumentar o volume das frequências altas (high), ressaltando os pratos de maneira insuportável. Muito cuidado com os volumes! A proporção “INPUT” e “OUTPUT” do sinal requer atenção redobrada para evitar que isso ocorra.


*Digital Audio Workstation - Software de produção musical.

Deixo para vocês uma foto da minha última sessão. Me mandem as suas depois!


Boa mixagem!

-M.H

1 view0 comments

Recent Posts

See All
bottom of page