Search

Reflexões filosóficas acerca do Wow & Flutter

Wow and flutter são fenômenos físicos descobertos na era da gravação e reprodução de discos de vinil. Não era incomum encontrar no final do desenho da Caverna do Dragão, uma música que parece fora do tom nos créditos. Este é o Wow te levando para o mal (brincadeira).

Está definido numa forma mais técnica: “Wow” é uma distorção em altura (musicalmente) de formato cíclico devido a um deslocamento mecânico tanto no equipamento de gravação quanto no reprodutor (como uma agulha de disco descalibrada ou em fita, as bobinas estarem levemente em tempos diferentes em suas rotações). Pode ser também que o disco esteja empenado.Não existe no meio digital. Apenas pela inserção de um plugin (com a intenção de).

“Flutter” também é uma distorção mecânica que provoca a oscilação de baixas frequências (5 a 8hz) que gera breves silêncios na reprodução e conforme sua rotatividade, este silêncio era ouvido repetidamente e em variadas velocidades. Esta provocada por uma bobina descalibrada.

Tal como diz Alec Nisbett em seu livro “Tecnhiques of the Sound Studio”: “Uma forma de distorção sonora é o Wow, agindo na forma da onda quando intencionalmente aplicada através de um plugin e influenciando mecanicamente quando sobre um disco. O Wow só é perceptível em 1/25 acima de um semitom. Influencia em altura (pitch) e médias frequências. Em frequências baixas seu intervalo é maior porém menos perceptível para o ouvido humano […].”

“Flutter, é uma flutuação mais rápida onde a velocidade oscila impondo uma alteração de qualidade em qualquer som. Proeminente em notas tangidas e prolongadas, piano e órgão são os instrumentos mais afetados.”

Mas por que usar essa falha mecânica como um efeito?

A resposta é simples: Porque é mais um efeito para a janela da criatividade!

Não é a primeira vez que efeitos advém de fenômenos físicos. O Flanger foi descoberto no processo de gravação do “Sgt.Peppers”, quando uma cabeça da gravadora magnética estava em um tempo diferente da cabeça reprodutora. Há o mito da distorção ter sido inventada pelo The Kinks, pois quando estressado, o compositor de “You Really Got Me” furou o invólucro do auto-falante com um lápis.

Cool, mas pode soar feio.

O Wow pode soar terrível se seu ciclo for 1% superior a um semitom. O tolerável se encontra 1/25 superior a um semitom. O “efeito” se torna ideal quando inserido dentro dos 0,01% - 0,25% ciclos da onda gravada, perceptíveis e toleráveis ao ouvido humano.

*Só tive acesso ao WOW&FLUTTER pelos plugins da Waves “Kramer Tape” e pelo “Abbey Road Vinyl” e a prática comprova: É verdade que se aplicado em excesso, perde-se uma música.


Waves Kramer Tape


Abbey Road Vinyl




Wow & Flutter localizados no Abbey Road Vinyl

Até que ponto os efeitos dão “aquele grau” psicodélico e até onde pode ser puxado antes de chegar na overdose do cafona ?

Um velho amigo meu dizia: “Tudo que é inútil, é cafona”.

Reflita sobre isso.


-M.H


Para você que veio até aqui, deixo de presente uma ação tão boa do Wow&Flutter que pareceu que um espírito instrumentista se juntou à banda na gravação dessa beleza do Rock n’ Roll:

https://www.youtube.com/watch?v=EJRdDhnTRoo



14 views
 

+351926777186

  • Facebook
  • SoundCloud
  • Instagram